BLOG

24/05/2011

DESCANSE EM PAZ BARÃO POR DANIEL GIMENES



Hoje é um dia triste para o automobilismo brasileiro, morreu aquele que pode ser considerado o pai de todos os pilotos nacionais, assim como do próprio automobilismo brasileiro, o Barão Wilson Fittipaldi.

Já diziam os tricampeões mundiais de Fórmula 1 Nelson Piquet e Ayrton Senna, que o maior piloto do Brasil é o bicampeão mundial da categoria Emerson Fittipaldi. Segundo os dois rivais, Emerson abriu as portas para todos os demais que vieram, consagrando o Brasil como um verdadeiro celeiro de pilotos, que como dizia o também tricampeão Jackie Stewart, era tudo culpa da água que os brasileiros bebiam.

A água brasileira tinha um nome, como também garra, humildade e uma brasilidade poucas vezes vista. Esta água é o Barão Wilson Fittipaldi, pai dos pilotos Emerson Fittipaldi e Wilson Fittipaldi Jr. O Barão, como era carinhosamente chamado em virtude de seus modos elegantes e vestimentas, foi um dos maiores, senão o maior comunicador do rádio brasileiro. Sob seu comando a Rádio Panamericana, hoje chamada de Jovem Pan, passou a transmitir corridas nacionais e internacionais, além de realizar promoções e atrair patrocinadores para o automobilismo nacional, organizando também corridas pelo Brasil afora.

Em um país em que a maioria estraga o que existe de bom ou alguma boa iniciativa, Wilson era o exemplo de quem batalhava e fazia acontecer. De quem através das imortais ondas de rádio inovou, e levou aos brasileiros com sua fantástica voz a ação das pistas de corridas, fazendo com que a Fórmula 1 ficasse conhecida no país, em uma época em que ninguém, e eu repito, ninguém conhecia a fundo o esporte. Vale mencionar também as coberturas das 500 Milhas de Indianápolis da Fórmula Indy que eram feitas pelo Barão, outro pioneirismo marcante do comunicador.

Seguindo o pai pelos autódromos, Emerson e Wilson se apaixonaram pelo mundo das corridas, e passaram a viver do automobilismo. O primeiro se tornou bicampeão mundial de Fórmula 1 nos anos 70, e entre os anos da década de 80 e 90 se tornou bicampeão das 500 Milhas de Indianápolis, além de vencer o título da Fórmula Indy em 1989, sendo o primeiro brasileiro a conquistar tais façanhas. O segundo foi um piloto aguerrido, lutador, e o idealizador da única equipe brasileira a competir na Fórmula 1, a Fittipaldi Automotive, mais conhecida como Copersucar Fittipaldi.

Páginas fantásticas e maravilhosas foram escritas pelos Fittipaldis e todos os pilotos que vieram depois. Wilson Fittipaldi deixa todo o automobilismo brasileiro órfão, leva consigo o amor e consideração de diversas gerações, assim como nosso respeito.


Obrigado Barão, de todo o coração.


Wilson Fittipaldi, 04/08/1920 – 11/03/2013

por Katia Hashimoto


2011 • hashimotomotorsport.com.br • área restrita • design por famadesign